quarta-feira, novembro 08, 2006

Moinho do Guizo - Moradores dão o exemplo

Árvores e flores para dar nova vida e cor a uma urbanização inacabada


Perante a demora na conclusão do plano urbanístico do Moinho do Guizo, na freguesia da Mina [correcção à notícia do Jornal da Região: freguesia de São Brás], os moradores desta urbanização puseram mãos à obra e, no passado fim-de-semana, organizaram-se e plantaram algumas árvores e flores nos espaços públicos da zona. "É uma iniciativa que se vai repetir, porque os moradores querem ver a sua urbanização mais arranjada. Plantaram-se dezenas de árvores, como carvalhos, pinheiros e abacateiros, substituindo as árvores secas de alguns canteiros", explica Hugo Jorge, um morador. A iniciativa dos residentes, num excelente exemplo de cidadania, surge como consequência de um abaixo-assinado que circula entre a população do Moinho do Guizo para ser posteriormente entregue à Câmara e à Assembleia Municipal. No documento, os moradores entendem que "devem ser tomadas medidas, para que seja avaliada a situação existente na urbanização, considerando que a mesma está dada como abandonada pela autarquia e acarreta danos graves para os munícipes do concelho, bem como para os seus visitantes", pode ler-se no documento. Em causa está a inexistência de passeios, ruas com piso em mau estado, despejo ilegal de entulhos, ausência de placas toponímicas, entre outros problemas. Por estes motivos pedem que "sejam tomadas medidas que conduzam à resolução das questões apresentadas com a urgência que a situação justifica". A par da situação, a autarquia lamenta o facto de a urbanização estar "inacabada". Contudo, Gabriel Oliveira, vereador responsável pelos Espaços Verdes e Obras, afirma que pouco ou nada pode fazer "enquanto a urbanização não for recepcionada". Se o empreiteiro não cumprir as obrigações de alvará, "teremos de accionar as garantias bancárias", frisa.

In Jornal da Região - Edição Amadora nº 56 - 7 a 13 de Novembro 2006

4 comentários:

Márcio Lopes disse...

Pois mas a construção continua esta semana montaram mais uma grua para mais contruções de predios.

pedro disse...

Já agora não poderiam comentar o disparate e o desperdício (mas deve haver benefício para alguém...) que são as luzes de Natal já acesas (desde Outubro!) no centro da Amadora?! Não são os comerciantes nem os residentes que ganham com a coisa...

Ponto Verde disse...

UM excelente exemplo a seguir, que mostre que as cidades não pertencem a entidades, mas sim a pessoas.

Fada disse...

Relativamente às várias situações por resolver na Urbanização Moinho do Guizo, entre elas a criação de espaços verdes, foi criado um abaixo-assinado que se encontra na farmácia da urbanização, de forma a denunciar o nosso descontentamento junto da Câmara Municipal da Amadora.
Agradeço a vossa participação, assinando e divulgando o abaixo-assinado.