quinta-feira, fevereiro 22, 2007

O triste hábito de estacionar os carros nos passeios


Vários moradores de Alfornelos, na Amadora, queixam-se da falta de estacionamento. Mas a situação piorou nos últimos tempos, com a colocação de pilaretes em algumas zonas da freguesia que impedem os automobilistas de deixar os carros em cima dos passeios à noite, o que era para muitos a única alternativa. O presidente da Junta de Freguesia, Jorge Nunes, garante que esta medida foi tomada "a pedido de outros moradores que se sentiam prejudicados".

Estacionar em Alfornelos durante a noite nunca foi tarefa fácil mas, devido à recente colocação de pilaretes, a situação piorou substancialmente. Desde a década de 70 que a freguesia assistiu a uma explosão de construção, sem que fossem assegurados lugares para os carros, tornando-a muito carente de estacionamento. Para quem vive no bairro, muitas vezes a solução passa por deixar o carro em cima dos passeios, à noite, quando a falta de lugares é mais sentida.

"Estamos a assistir à proliferação de pilares impeditivos do estacionamento nocturno em cima de passeios por onde nenhum peão passa nem de dia, muito menos à noite", lamenta Nuno Rodrigues, morador em Alfornelos, numa carta enviada à Câmara Municipal da Amadora (CMA). "Começaram pela medida mais drástica, ao impedir estacionar em cima dos passeios, quando deveriam primeiro criar mais lugares através do ordenamento das ruas", acusa outra moradora.

Embora viva em Alfornelos há apenas um ano, Ana Graciete tem sentido muitas dificuldades em estacionar o carro. "Chego a estar meia hora às voltas para tentar encontrar um lugar. Durante a noite, é mais complicado, mas às vezes também já se sente dificuldade durante o dia".

Já António Manuel, morador há 22 anos na freguesia, defende a colocação dos pilaretes porque à entrada do prédio onde vive "costumavam estacionar carros e muitas vezes ninguém conseguia entrar". Contudo, reconhece que a medida da Junta de Freguesia teve poucos efeitos. "Agora temos menos lugares e os carros continuam a estacionar mal. Não ficam em cima dos passeios, ficam nas faixas de rodagem, impedindo os carros de circularem", garante.

A colocação dos pilaretes já levou o PCP de Alfornelos a entregar dois requerimentos à Junta de Freguesia. "Questionámos o presidente, em Junho do ano passado, sobre os critérios usados para implementar os pilaretes e qual a empresa a que foi adjudicada a obra. Como a resposta não nos satisfez, voltámos a entregar um outro requerimento no fim de Janeiro", disse, ao JN, Henrique Lopes Mendonça, membro da Assembleia de Freguesia eleito pelo PCP.

O presidente da Junta, Jorge Nunes, garante que os pilaretes pretendem "dar resposta a solicitações de moradores que se sentiam prejudicados. Nomeadamente na Praceta Isabel Aboim Inglês". Paralelamente, "construímos um parque de estacionamento ao fundo da Rua Damião de Góis que dificilmente esgota", disse, adiantando que "está prevista ainda uma empreitada, por parte da CMA, para pintura dos locais de estacionamento e de passadeiras para ordenar as ruas". Para oferecer alternativas aos moradores, Jorge Nunes adianta que estão a "dar apoio à construção de um parque de estacionamento subterrâneo. É uma iniciativa dos moradores e o espaço será cedido pela CMA. Um projecto que será para cerca de 160 viaturas". Há moradores que se mostram cépticos em relação a esta medida. "Falou-se em 15 mil euros só por um parqueamento, acho que não compensa", afirma António Manuel.

In Jornal de Notícias - 21.02.2007

3 comentários:

-=amadorjp=- disse...

É sempre curioso que a CM apresente respostas para o trânsito e respectivo estacionamento, mas a verdade é que as pessoas não podem deixar os carros a 600/800 metros de casa.
Eu residia na Mina, junto do Beirro de Santa Filomena e cheguei a deixar o carro depois do parque Delfim Guimarães. Tudo porque o estacionamento em cima dos passeio foi literalmente feito multa. Era ver os agentes ás 6/7 da manhã a passar multas a todos quantos estacionavam como eu, em cima dos passeios.
Soluções? Criem parques em locais ditos normais, aproveitem os espaços disponíveis e facilitem o estacionamento, principalmente na cidade. Ah e claro... deixem-se de parvoíces e acabem com os parquimetros.

João disse...

O passeio é um espaço pedonal e não de estacionamento (de dia ou de noite).
Em Paris, Londres, Berlim ou Amesterdão não encontramos automóveis estacionados em cima dos passeios e essas são cidades com PIB per capita e salários médios que quase todos nós ambicionamos.
Aparentemente só neste país protestamos contra a usurpação pelos automóveis de um espaço de circulação para crianças, cadeiras de bébés, cadeiras de rodas ou idosos com mobilidade reduzida.

Anónimo disse...

Aqui na Parede é a mesma coisa. As vezes só mesmo passando por cima. A PSP não quer saber...