quinta-feira, dezembro 22, 2005

Algarve ligado por eco-vias em 2008


O interior e o litoral do Algarve vão estar unidos em 2008 por 350 quilómetros de eco-vias, num projecto que custará cerca de seis milhões de euros, anunciou hoje o presidente da Junta Metropolitana do Algarve (AMAL).

O plano das eco-vias algarvias - pistas ecológicas integradas na rede europeia de Vias Verdes para estimular o uso de transportes não motorizados - prevê "que dentro de dois anos as vias estejam em funcionamento", disse Macário Correia.

As quatro vias para transportes amigos do ambiente chamam-se "eco-via do litoral", "eco-via do interior algarvio", "eco-via do Guadiana" e "eco-via da costa Vicentina" e têm o objectivo de dotar a região de uma infra-estrutura associada à trilogia comunicação, lazer e desporto.

Os projectos das pistas ecológicas arrancam já em 2006 e o primeiro é a "eco-via do litoral", que abrangerá uma extensão de 214 quilómetros entre Vila Real de Santo António e Sagres - estende-se por 12 dos 16 municípios do Algarve - e estima-se que o investimento seja de três milhões de euros.

As restantes três eco-vias vão permitir ligar a região ao resto do país, através do Alentejo, e a Espanha, através da Andaluzia.

As três eco-vias, compostas por 136 quilómetros, terão um custo de cerca de três milhões de euros, adiantou Macário Correia.

O protocolo das quatro eco-pistas faz farte da requalificação do Plano de Ordenamento da Orla Costeira e foi assinado ontem pelo ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, Governo Civil de Faro e Direcção Regional de Educação do Algarve.

O investimento é co-financiado pelo Programa da Iniciativa Comunitária Interreg III A, Programa Operacional do Algarve e Programa de Investimentos Públicos e de Interesse Turísitico para o Algarve.

A construção da eco-via tem sido alvo de sucessivos atrasos, tendo a candidatura e o financiamento do projecto sido aprovada em 2004 no âmbito do programa comunitário Interreg, que suportará 850 mil euros (custo de 113 quilómetros).

"Agora está tudo nas mãos das autarquias e até gostava que houvesse um certo brio e concorrência entre elas para ver quem acaba primeiro", disse Campos Correia, presidente da CCDR do Algarve.

O conceito das eco-pistas é desenvolver planos pedonais que sirvam para circular a cavalo, bicicleta, patins ou simplesmente a pé, contando com a participação activa das camadas mais jovens da população escolar e dos utentes da via pública.

O conceito de ecopista é originário dos Estados Unidos, denominado 'rails-trails', num âmbito de um programa de reciclagem para reconverter milhares de quilómetros de corredores ferroviários abandonados em caminhos para passear.

22.12.2005 - 18h17 - Agência Lusa

2 comentários:

Manuela disse...

Imaginem um dia a Eco-via da Grande Lisboa.

Pegar na bicicleta e ir da Amadora até Oeiras ou ao Guincho e quem sabe dar um saltinho até Sintra.

Neste momento já me contentava com uma rede de ciclovias na Amadora. Será que alguém não pega nisto?

Anónimo disse...

Óptimo para o turismo! Quando tiver pronto já sei como vão ser as minhas férias... a pedalar.