segunda-feira, dezembro 26, 2005

Dolce Vita Tejo - assim tão benéfico para a Amadora?

O centro comercial Dolce Vita Tejo, na freguesia da Brandoa, «é um projecto verdadeiramente grande», sustentou Rui Alegre, presidente da comissão executiva da Amorim Imobiliária, durante a apresentação do projecto na passada quarta-feira. O empreendimento está concluído no segundo semestre de 2007 e vai criar cinco mil postos de trabalho directos e oito mil indirectos.

A construção do Dolce Vita Tejo resulta de uma parceria entre a Amorim Imobiliária e a ING Real Estate Development que vai investir cerca de 200 milhões de euros no concelho da Amadora. Com uma área bruta de 122 mil metros quadrados, o centro vai ter um hipermercado, do Grupo Auchan, seis mil metros de entretenimento inovador, 30 restaurantes, 280 lojas satélites, 15 lojas âncora e nove mil lugares de estacionamento subterrâneo distribuídos por quatro pisos. «É a primeira vez que se cria em Portugal um parque de estacionamento com esta dimensão», salientou Rui Alegre acrescentando que o centro «vai ter «características que o tornam único no país». O Dolce Vita Tejo «usufrui de uma óptima localização» e apresenta «uma centralidade única com seis concelhos densamente povoados (Amadora, Lisboa, Loures, Sintra, Oeiras e Odivelas)» e «uma rede viária consolidada e enraizada (CRIL, CREL, A8, IC19, IC30) permitindo uma acessibilidade excepcional na Área Metropolitana de Lisboa». A rede de infra-estrutura local tem oito quilómetros «já praticamente concluídos», sete rotundas e três viadutos. Vai ter ainda uma linha do Metro Ligeiro de Superfície desde a Falagueira até ao interior do centro comercial.

Para Joaquim Raposo, presidente da Câmara Municipal da Amadora, o Dolce Vita Tejo «é determinante para o desenvolvimento do concelho e de toda a Área Metropolitana de Lisboa». O autarca afirmou ainda que o investimento não é apenas económico, mas também social. A Amorim Imobiliária «comprometeu-se a construir uma creche e um infantário na zona com horário prolongado. Há muitas mães que trabalham até tarde e não têm onde deixar os filhos. Esta é uma solução para os seus problemas». O Grupo Auchan «também vai construir uma escola, um jardim-de-infância e uma creche. Equipamentos que dão resposta a uma necessidade da população».

In Notícias da Amadora - 22.09.2005

10 comentários:

Manel Silva disse...

Mas que óptima notícia. O meu bairro, bem perto do futuro Dolce Vita Tejo (DVT) é um marasmo, uma pasmaceira, um autêntico cemitério cultural, social e ambiental. Zero actividades, zero qualidade de vida, infinito lixo. Quando abrir o DVT terei mais um espaço para me alienar, para gastar os trocos que ganho todos os meses, para fugir do meu bairro feio, porco e mau.

Ana disse...

A notícia é tão, tão, tão positiva que custa a acreditar. São só coisas boas que o Dolce Vita trará para a Amadora. Será?

Anónimo disse...

Numa área tão pequena, estarão concentrados vários centros comerciais: Dolce Vita Tejo, Colombo, Odivelas Parque, Loures Shopping. Em "cada esquina" o deslubramento das compras, do consumo desenfreado, do passar os fins de semana enfiado entre luz, ar e coisas totalmente artificiais, em trazer sacos e mais sacos e embalagens para casa, em comprar coisas inúteis... enfim!

Ana Maria Silva disse...

Prometem um electrico ligeiro de superficie. Será apenas papel de embrulho para aliciar ou realmente vão fazer isso?

Carlos Conceição Lopes disse...

Falam em 9 mil lugares de estacionamento. Gostava de ouvir falar em 9 mil árvores plantadas. Isso sim seria uma Dolce Vita.

Anónimo disse...

Sim, seria muito bom que o Grupo Amorim e a ING Real Estate Development plantassem uma árvore por cada lugar de estacionamento. Que tal escrever-lhes e pedir-lhe que façam isso?

Morada e telefone:

RetailGeste - Sociedade de Gestão e Investimentos Imobiliários, SA
Rua Mártir S. Sebastião, 251
4400-499 Vila Nova de Gaia

Telefone: 22 771 94 00
Fax: 22 771 94 02

e-mail: geral@dolcevita.pt

Anónimo disse...

Só têm ideias tristes...
Odivelas Park, Loures, Colombo, Oeiras, etc etc
Com tantos centros, ainda mais um ?
Dá mesmo vontade é de ir viver para o interior...
Então na Amadora que é tão bem frequentada, imagino o tipo de pessoas que vão para esse Centro...

Anónimo disse...

Muito sinceramente que raio de ideia!
Arranja-se um espaço desocupado no concelho da Amadora (que se encontra cada vez mais atulhado e caro) e no meio de tanta coisa mais interessante para fazer, nomeadamente parques decide-se construir mais betão...
Fala-se na criação de mais emprego no concelho, mas a minha previsão é que com a construção de um novo centro comercial os antigos hipermercados Jumbo e Continente da Amadora (especialmente o Jumbo que pertence ao grupo Auchan perderão clientes e poderão fechar).
Penso que o presidente Joaquim Raposo está a juntar o útil ao agradável. Por um lado meter dinheiro ao bolso por aceitar as construções do grupo Amorim e em segundo tentar ganhar votos dos residentes com construções de encher o olho, que bem espremidas não trazem nada de novo ao concelho, pelo contrário mais carros, mais transito, mais desorganização, poluição etc...

Obrigado pela atenção!

Anónimo disse...

é tão facil criticar...

joão nabais disse...

Um pequeno comentario, entre muitos possiveis, sugiro apenas que por cada lugar de estacionamento, plantem uma arvore, ajudando assim a minimisar o que de negativo este projecto poderá trazer para a região.